Tópicos » Nutrição Parenteral » Artigos » Glutamina Parenteral: quando usar?

Glutamina Parenteral: quando usar?

Por: Dra. Melina Gouveia

A glutamina pode ser um aminoácido essencial em pacientes com doença catabólica, uma vez que foi demonstrado que os níveis circulantes de glutamina diminuem durante a doença crítica ou após uma grande cirurgia. A concentração plasmática baixa de glutamina está associada a piores desfechos clínicos.

A glutamina participa de muitos processos fisiológicos, metabólicos, imunológicos, antioxidantes e estruturais. No entanto, a literatura científica apresenta resultados conflitantes em relação ao efeito da suplementação parenteral de glutamina no desfecho clínico de pacientes graves. Os resultados negativos associados a suplementação de glutamina parecem estar associados a alguns fatores específicos:

Portanto, pacientes graves suplementados com glutamina parenteral, conforme as diretrizes clínicas e como integrante de uma terapia nutricional parenteral bem indicada parece trazer benefícios ao desfecho clínico de pacientes graves. Neste contexto, a recém publicada Diretriz Brasileira de Terapia Nutricional no Paciente Grave estabelece que o uso parenteral de glutamina esta contraindicado em pacientes com disfunção orgânica múltipla, disfunção renal, disfunção hepática ou instabilidade hemodinâmica. Em outras situações, em associação com a NP bem indicada e elaborada, pode trazer benefícios clínicos aos pacientes graves, podendo ser considerada caso a caso.

Referências Bibliográficas

1. Wernerman J. Role of glutamine supplementation in critically ill patients. CurrOpinAnaesthesiol2008;21:155–9.
2. Heyland D, Muscedere J, Wischmeyer PE, et al. A randomized trial of glutamine and antioxidants in critically ill patients. N Engl J Med.2013; 368(16): 1489 – 1497.
3. Gunst J, Van den Berghe G. Parenteral nutrition in the critically ill. CurrOpinCritCare 2017; 23(2): 149 – 158.
4. Stehle P, Ellger B, Kojic D, Feuersenger A, Schneid C, Stover J et al. Glutamine dipeptide-supplemented parenteral nutrition improves the clinical outcomes of critically ill patients: A systematic evaluation of randomised controlled trials. ClinNutr ESPEN 2017; 17: 75 – 85.
5. McRae MP. Therapeutic benefits of glutamine: An umbrella review of metaanalyses. Biomed Rep. 2017 May;6(5):576-584.
6. Castro MG, Ribeiro PC, Souza IAO, Cunha HFR, Silva MHN, Rocha EEM, Correia FG, Loss SH, Franco Filho JW, Nunes DSL, Gonçalves RC, Matos LBN, Ceniccola GD, Toledo DO. Diretriz Brasileira de Terapia Nutricional no Paciente Grave. BRASPEN J 2018; 33 (Supl 1):2-36.