Tópicos » Nutrição Parenteral » Artigos » Adaptando a Nutrição Parenteral para Circunstâncias Clínicas

Adaptando a Nutrição Parenteral para Circunstâncias Clínicas

Nutrição Parenteral Total X Suplementar

Idealmente, para a maioria dos pacientes, uma ingestão dietética adequada pode ser garantida por meio de uma alimentação hospitalar normal, de boa qualidade. No entanto, quando os pacientes não conseguem se alimentar ou quando sua ingestão de nutrientes é insuficiente para atender às necessidades nutricionais clínicas, a nutrição enteral (NE) faz-se necessária.1

Nos casos em que a ingestão de NE é insuficiente ou inadequada para atender às necessidades nutricionais do paciente, a nutrição parenteral (NP) deve ser iniciada para evitar desnutrição relacionada a doença.12

Quando a NP Suplementar É Indicada?

Com essa abordagem, a NP suplementa a ingestão de NE e fornece parte das necessidades nutricionais diárias. A NE complementada pela NP suplementar precoce melhora os resultados do paciente.34 A ESPEN afirma que a NP suplementar é preferida no lugar da NE exclusiva e que, no caso de pacientes que recebem menos que a alimentação enteral alvejada após dois dias, deve-se considerar a NP suplementar.5

Quando a NP Total É Indicada?

A NP total pode fornecer aos pacientes todas as necessidades nutricionais diárias nos casos em que a NE é contraindicada.